Cabelos

Estudo sobre Cabelos

As estatísticas indicam que mais de 60% dos brasileiros possuem cabelos crespos ou cacheados. Este tipo de consumidor utiliza de três a quatro tipos de produtos para lavar, condicionar, reduzir volume, etc. Normalmente, este tipo de cabelo tem dificuldade em hidratar-se de forma natural, devido à dificuldade da distribuição homogênea do sérum produzido nas glândulas sebáceas. Já nos cabelos lisos, a oleosidade natural do couro cabeludo distribui-se da raiz até as pontas, hidratando o fio por inteiro.

A exposição demasiada aos raios solares, a água do mar ou clorada de piscina, o vento e a poeira, deixam os cabelos demasiadamente secos e carregados de resíduos químicos que afetam o brilho, a maleabilidade e elasticidade. Nos cabelos tratados quimicamente, além destas agressões naturais, existe um ressecamento maior, devido à mudança na fórmula estrutural da queratina. Estes cabelos apresentam porosidade intensa, por causa da transformação radical que sofreram.

O cabelo (do latim capĭllus) é cada um dos pelos que crescem no couro cabeludo; são diferenciados dos pelos comuns pela sua elevadíssima concentração por área de pele e pelo desenvolvimento em comprimento. Os fios de cabelo possuem duas estruturas separadas: o folículo ou raiz que tem sede na pele e a haste situada acima da epiderme. São constituídos principalmente de queratina, hidrogênio, nitrogênio, oxigênio e enxofre.

O cabelo humano é composto por aproximadamente 85% de queratina, uma proteína rica em aminoácidos. Em sua composição também constam quantidades menores de hidrogênio, nitrogênio, oxigênio, enxofre e outros elementos como Ferro, Cobre, Zinco, Iodo, vinte tipos diferentes de aminoácidos ( Alanina, Arginina, Asparagina, Aspartato, Cisteína, Glicina, Glutamato, Glutamina, Prolina, Serina, Tirosina, Fenilalanina, Histidina, Isoleucina, Leucina, Lisina, Metionina, Treonina, Triptofano e Valina), proteínas, lipídios e água. Estes elementos são vitais para a saúde e boa aparência dos cabelos que sofreram ataque químico, principalmente os cabelos crespos submetidos à ação de substâncias alisantes, relaxantes e amaciantes.

equilbrio-fisiolgico-capilar-28-638

Veja a importância dos minerais para os cabelos:

Cálcio – a deficiência de cálcio faz com que o cabelo fique frágil e quebradiço.

Manganês – é essencial para a cutícula do cabelo, para a sua lubrificação e proteção ideal, agindo como uma barreira. Existem vários trabalhos que relacionam sua falta à existência da alopecia, isto é, queda de cabelo, sendo que vários tratamentos contra a queda de cabelos utilizam o manganês como aditivo fundamental.

Silício – este é um dos componentes mais importantes para o cabelo, pois participa de uma etapa importantíssima da reconstituição do cabelo e luta contra o seu envelhecimento.

Zinco – é fundamental para a oxigenação, reconhecido no mundo cosmético/científico como ideal para o fortalecimento capilar.

Todos estes nutrientes são encontrados em alimentos como iogurte, espinafre, arroz integral e gema de ovo. Por isso, é importante alimentar-se de forma saudável, pois não é só de bons cosméticos que o cabelo vive!

Fases do Cabelo

O ciclo biológico do cabelo é dividido em três fases. Anágena (Crescimento) Catágena (Repouso) e Telógena (Queda).

1. Anágena: fase de crescimento ativo do cabelo e pode durar por vários meses e até vários anos; a média é de três anos. O comprimento do cabelo de cada pessoa é determinado por essa fase, ou seja, se for mais longa em uma determinada pessoa, ela poderá ter cabelos mais compridos que outra cuja fase é mais curta.

2. Catágena: fase de transição. O período é relativamente curto, durando de 2 a 4 semanas e é quando ocorre uma interrupção do crescimento dos fios.

3. Telógena: a fase telógena dura de 3 a 6 meses e durante este período ocorre o desprendimento dos fios do couro cabeludo. Eles podem facilmente ser arrancados apenas penteando ou lavando os cabelos. Terminada essa fase, um cabelo novo cresce da mesma raiz reiniciando o ciclo.

Fases

Nosso cabelo é composto normalmente por 80 a 90% de fios na fase anágena, 10 a 15% na fase telógena e menos de 1% na fase catágena.

A Estrutura dos Fios

O cabelo possui duas estruturas: a parte interna, constituída de bulbo ou raiz, e a parte visível, a haste. Os produtos utilizados nos cabelos devem ser escolhidos com máxima cautela, pois cada tipo de cabelo ou problema tem um produto adequado para uso.

estrutura-cabelo

Na raiz, por exemplo, os fios adquirem as características básicas e naturais de cor, espessura, resistência e formato. O bulbo interage com as glândulas sebáceas que produzem suor e oleosidade, e também com os capilares sangüíneos, nervos e musculaturas, que influenciam no equilíbrio do couro cabeludo, na estética e na aparência dos fios.

Os fios são compostos por três camadas: medula, córtex e cutícula.

Medula: é a parte mais central do fio. Ela tem baixa densidade celular, sendo composta em sua maioria por células mortas e ocas. Influi muito pouco sobre o comportamento físico e químico da fibra. É através da medula que são veiculados todos os resíduos nocivos que penetram no cabelo, como transpiração, poluição e a oleosidade do couro cabeludo.

Córtex: é a parte central, responsável pelas características como elasticidade, resistência, permeabilidade e a cor dos fios. É formado por um conjunto de fibras unidas por uma alta concentração de queratina, rica em enxofre e grãos de melanina. As intervenções químicas mais radicais, como coloração, alisamentos e ondulamentos, atuam principalmente nessa região, alterando a sua estrutura.

Cutícula: é a parte mais superficial, responsável pelo brilho, maciez e a proteção dos fios. Quando não agredida, caracteriza o aspecto uniforme dos cabelos. É formada por um conjunto de placas – as escamas – que são sobrepostas uma às outras. Sua composição básica é de aminoácidos (ceramidas e ácidos graxos essenciais) e minerais.

Anatomia-de-um-cabelo

Quando as cutículas estão fechadas, o cabelo tem aparência de saudável e bem tratado. Quando estão abertas o cabelo é frágil, quebradiço e sem brilho.

A Queratina

O cabelo tem em sua composição aproximadamente 85% de uma proteína chamada queratina, uma proteína que constitui outras partes do corpo dos animais, como unhas, bicos de aves, chifres, pelos, cascos e espinhos. A queratina contém em sua composição aminoácidos (cistina, tirosina, arginina e citrulina) que atuam na estrutura capilar e retém a umidade. Daí a sua importância, pois a exposição dos fios às agressões químicas ou naturais (sol, cloro, água do mar e poeira) pode resultar na perda de aminoácidos. A pouca quantidade de aminoácidos dificulta a fixação dos pigmentos da coloração, anula o efeito de relaxamentos e permanentes e tira o brilho e a cor dos cabelos; provocando ainda pontas duplas, devido ao ressecamento progressivo.

Em cada fio de cabelo, milhares de cadeias de queratina estão entrelaçadas em uma forma espiral, sob a forma de placas que se sobrepõem, resultando em um longo e fino “cordão” proteico. Estas proteínas interagem fortemente entre si, por várias maneiras, resultando na forma característica de cada cabelo: liso, enrolado, ondulado, etc.

e2460dd18e52aa01edb7d11ac70326f7

Quais os benefícios da queratina para os cabelos?

– Melhora brilho e a textura dos cabelos;

– Aumenta a retenção de água hidratando;

– Auxilia na penetração e fixação de tinturas;

– Previne a formação de pontas duplas e restaura as existentes;

  • Reduz danos causados por tratamentos químicos

O p.H

Manter os cabelos saudáveis realmente não é fácil. Além de lavar, hidratar e cortar, é preciso ter o controle sobre a química dos fios.

O pH, ou Potencial de Hidrogênio, é a escala que mede o grau de acidez ou alcalinidade de uma substância, podendo variar de 0 a 14. O pH normal do cabelo humano fica em torno de 4,5 a 5,5, ou seja, ligeiramente ácido. Assim se forma o manto ácido, que tem como função impedir a proliferação de fungos e bactérias no couro cabeludo, evitando irritações. Fios com pH neste grau são saudáveis e têm as cutículas fechadas (aderentes e lisas).

Os cosméticos capilares com pH alcalino são usados para modificar a estrutura externa e interna dos cabelos, abrindo as cutículas a fim de penetrar nos fios. O pH ácido reforça a fibra capilar, age como adstringentes e neutraliza os tratamentos feitos com cosméticos alcalinos.

Ao utilizarmos produtos muito ácidos (pH entre 1 e 2), assim como produtos muito alcalinos (pH acima de 10), os cabelos “incham”, pois as cutículas se abrem. Deste modo o córtex fica mais exposto (menos protegido pelas cutículas), e é desta forma que os tratamentos químicos como alisamentos, permanentes e colorações são mais eficazes. Quando as cutículas estão mais abertas e o córtex está menos protegido, dizemos que aumentou a porosidade de cabelo.

tabela-ph

 

Bibliografia:

http://www.ebah.com.br/content/ABAAAAGBUAA/saiba-tudo-sobre-seus-cabelos

Imagens obtidas pela internet.

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s